Author:

Home/Articles Posted by

Erros que te farão ir mal em uma entrevista de emprego

Entrevista de emprego! Dá um frio na barriga só de pensar, não é mesmo?

Para o entrevistado, principalmente quando se trata do primeiro emprego, o momento da entrevista pode ser bastante assustador.

Você passa por todo um processo, que vai desde encontrar a vaga de emprego, elaborar um currículo bacana, enviar para a empresa e aguardar um retorno.

Então finalmente recebe a ligação de que está sendo convidado para ser entrevistado.

De primeira você fica bastante contente, já que esta é a sua chance!

Porém, depois se lembra de que não sabe muito bem como será, que pode fazer algo errado.

É aí que na sua mente, a entrevista de emprego que seria um bate-papo dinâmico e produtivo, torna-se uma verdadeira tortura.

Você que não sabe o que vai falar e nem como agir, não faz a mínima ideia do que o entrevistador espera, sente-se perdido e começa a perguntar mentalmente “E agora, o que eu faço?”.

Existem erros básicos que podem comprometer toda a entrevista, e neste post iremos abordar cada um deles, para que você NÃO os cometa. Abaixo, conheça todos.

1 – Chegar atrasado

Chegar atrasado para a entrevista de emprego é um fator que certamente te fará perder pontos. Os entrevistadores dão muita importância para a pontualidade, e a seriedade do entrevistado, e ao chegar atrasado a impressão que você passa, é de não ser nem uma pessoa séria, nem pontual.

Caso tenha se perdido no caminho, essa desculpa também não serve. Você será enxergado como uma pessoa que faz tudo de última hora, e é desorganizado.

Então fica a dica: ao receber a ligação, anote o endereço da empresa, e veja com antecedência o mapa do local, as melhores rotas para chegar, e os horários que poderá sair de casa, para não ser pego por imprevistos (como congestionamentos, por exemplo).

2 – Usar qualquer tipo de roupa

Outra coisa que pode te desclassificar instantaneamente é a forma como você irá vestido para a entrevista. A primeira impressão é a que fica, como diz o ditado, e usar bermudas, chinelo, roupas curtas demais ou largas demais, é sinônimo de desleixo.

Imagine que você está num ambiente corporativo, onde a aparência tem importância, e você está em busca de um emprego, então seja profissional a partir daí. Pense profissionalmente, haja profissionalmente, e se vista profissionalmente.

Claro, há algumas exceções de acordo com a área onde a pessoa vai atuar, ou a profissão, mas para ambientes corporativos a regra é essa, mesmo que depois a empresa se mostre mais flexível.

Se for possível, vale a pena pesquisar previamente como as pessoas se vestem na empresa. Uma boa forma de fazer isso é dar uma olhada nas redes sociais da empresa e verificar se têm fotos dos colaboradores no horário de expediente. Assim você poderá ir tranquilo para a entrevista, sabendo que estará vestido de forma que não o fará parecer “deslocado” do ambiente. Caso contrário, na dúvida é melhor ir com uma roupa social.

3 – Má postura

Sentar-se de qualquer jeito (no estilo “largado”) na cadeira, é algo que o entrevistador irá reparar, e poderá interpretar você como uma pessoa descuidada, e na pior das hipóteses como alguém que “não está nem aí pra nada”.

Já ficar com uma postura muito encurvada e ombros encolhidos, podem fazer você parecer uma pessoa de baixa autoestima, ou falta de confiança em si próprio.

O ideal é encostar as costas no encosto da cadeira, e manter a postura com a coluna reta, olhando sempre para frente e conversando em tom nem alto e nem baixo.

Dica importante: para manter as costas retas, não é necessário ficar totalmente petrificado na cadeira, você também pode se mexer e gesticular, desde que seja com moderação.

4 – Evitar olhar nos olhos do entrevistador

Conversar olhando nos olhos das pessoas é algo extremamente bem visto, pois é sinal de confiança em si mesmo e no que está falando.

Evite ficar olhando para objetos fora do ambiente, como janelas, canetas, vasos de planta e coisas do gênero. Mantenha a sua atenção no entrevistador, assim não corre o risco de ele achar que você é uma pessoa distraída.

Portanto fale diretamente, olhando nos olhos do entrevistador e expressando com clareza a mensagem que quer passar.

Não enrole muito, seja objetivo, olhe nos olhos e fale com convicção.

5 – Inquietação

Ficar se mexendo muito, como por exemplo cruzando e descruzando as pernas, esfregando as mãos, batendo os dedos na mesa ou batendo os pés no chão, são ações que podem transmitir nervosismo.

Isso tirará a atenção do entrevistador e certamente atrapalhará a entrevista.

Para evitar isso, mantenha a calma, respire fundo, fale pausadamente, não tenha pressa. Se tiver alguma dúvida sobre algo que o entrevistador tenha falado, pergunte, isso lhe dará mais segurança na hora de responder.

Dica de ouro: Para baixar a ansiedade, vale a pena pesquisar sobre a empresa. Assim você saberá o que ela faz e quais as suas realizações, a entrevista com certeza vai ficar mais dinâmica e produtiva, e naturalmente vocês vão conversar sobre alguns desses assuntos.

6 – Demonstrar pressa

Responder muito rápido as perguntas do entrevistador, ou não esperar ele terminar de falar e já ir respondendo, é sinônimo de pressa e desinteresse.

O entrevistador te enxergará como alguém que, não está verdadeiramente interessado na vaga e tem pressa para que a entrevista acabe.

A dica aqui é: ouça tudo o que o entrevistador tem a dizer, elabore respostas que não sejam nem tão curtas e nem tão longas, que sejam objetivas e claras de se entender.

Se tiver alguma dúvida sobre algo que ele comentou, pergunte. Isso mostrará que você está prestando atenção no diálogo e tem interesse em saber mais sobre a empresa. Essa dinâmica é muito importante de se acontecer.

7 – Falar gírias

Como já mencionado em pontos anteriores, um diálogo claro é extremamente importante, para tanto é preciso que utilize um linguajar apropriado para se comunicar com o entrevistador.

Usar gírias passa uma impressão negativa e demonstra imaturidade, que você não está pronto para o mercado de trabalho. Claro, também não é necessário usar várias palavras rebuscadas no meio da conversa.

Converse casualmente, mas se atenha a usar uma linguagem clara e objetiva, pois o ideal não é impressionar o entrevistador e sim, conseguir transmitir a sua mensagem para ele.

8 – Mascar chicletes

Mascar chicletes é o fim de tudo!!! Não faça isso nunca.

Além de ser bastante incômodo, o entrevistador precisa prestar atenção ao que está sendo dito por você, porém, ao mascar chicletes, ele perderá toda a atenção no que você está dizendo.

Procure comer algo um pouco antes da entrevista e lembre-se de escovar os dentes depois.

Conclusão

Lembre-se que a entrevista de emprego é um momento decisivo em todo o processo seletivo. Será a sua chance de mostrar o seu melhor para o entrevistador, e ele enxerga-lo como a pessoa que estava procurando para preencher a vaga.

Tome muito cuidado com todos estes pontos citados acima, pois eles de fato fazem toda a diferença na hora da contratação.

Siga essas dicas e você estará cada vez mais próximo de conquistar a vaga de emprego que tanto deseja!

Tem alguma dúvida sobre entrevistas de emprego que não abordamos nesse artigo? Escreva nos comentários que nós do Instituto Capital Social responderemos com o maior prazer!

Para ter mais informação sobre processos seletivos e entrevistas de emprego, fique ligado no nosso blog!

O que ninguém nunca te contou sobre a sobrecarga de trabalho (e deu dicas práticas para resolver!)

Ter momentos de sobrecarga de trabalho pode ser sinal de crescimento da empresa. Afinal um pedido maior, ou o fechamento de mais clientes pode gerar essa situação, o que é muito benéfico.

O mesmo não pode se dizer quando a sobrecarga é uma rotina constante na vida dos funcionários. O excesso de forma perene pode em um primeiro momento parecer produtivo, mas ao longo do tempo ele começa a afetar os funcionários e os resultados da empresa.

É preciso ficar atento a essas questões e resolver antes que prejudique a empresa. Ao contrário do que muitos pensam, não é somente contratando mais pessoas que se pode reduzir a sobrecarga. Existem medidas baratas e sem custo com ação imediata.

Leia esse post e saiba mais como identificar essa situação, quais suas consequências e dicas práticas de como resolver.

Como saber se há sobrecarga de trabalho

Sua empresa tem sobrecarga de trabalho?

Se você respondeu “não”, é preciso verificar mais a fundo. Saiba que muitas vezes a sobrecarga não é tão clara para os gestores e para a empresa.

Isso pois, a sobrecarga de trabalho pode esconder algumas ineficiências e problemas não aparentando ser um problema.

Muitos pensam: “Se não está havendo nenhum problema na operação, porque devo me preocupar?” E é justamente aí que mora o perigo.

Então vamos lá! Hora de descobrir como identifica-la.

> Gastos com horas extras

Essa é a forma mais fácil, mais visível e clara de se identificar sobrecarga de trabalho na empresa.

É importante ter um indicador com o histórico de horas extras e as sazonalidades. Até para evitar que o salto de horas extras seja visto como problema, se for somente efeito da sazonalidade.

Tenha esse indicador e acompanhe a tendência de aumento ao longo do tempo.

Muitas empresas determinam como meta a extinção das horas extras, principalmente através do banco de horas. Se você não tem esse indicador, passe para a próxima forma.

> Funcionários fazem funções além do combinado

Quando um funcionário é contratado, o padrão é que a empresa informe quais serão as suas atividades. Isso é feito com base na capacidade de entrega.

É claro que com a curva de aprendizado do colaborador, ele aumente a sua produtividade e assuma mais responsabilidades com o passar do tempo.

A hora de se preocupar é quando esses colabores começam a fazer funções fora do escopo inicial, ou seja, de outras áreas e atividades da empresa.

Se isso acontecer é bom ver se realmente é resultado da produtividade ou do acúmulo de trabalho. Normalmente é deste segundo.

> Parte do trabalho é feita em casa

Outra forma de identificar é com relação as entregas do trabalho. Se você perceber que elas são feitas de casa é bom verificar mais a fundo.

Sinais de que isso está acontecendo é quando e-mails de trabalho começam a circular de madrugada pela caixa de entrada da empresa.

Isso costuma ser uma bola de neve quando a empresa toda está sobrecarregada. Hoje em dia com a tecnologia, receber um e-mail é quase instantâneo.

Quando uma pessoa sobrecarregada envia um e-mail fora do expediente para outra na mesma situação, ambas acabam trabalhando fora do horário e isso vai se multiplicando.

Fique atento a estes sinais.

Consequências do excesso de atividades

Estamos em um mundo cada vez mais veloz onde a exigência pela perfeição e velocidade acaba influenciando a todos.

Só que esse composto: velocidade, exigência e perfeição acabam causando situações de estresse. Isso não é ruim, pois faz parte do dia a dia nas empresas, mas em situações de sobrecarga o estresse acaba tendo muito mais impacto sobre as pessoas.

É por isso que sua empresa tem que cuidar deste tema. Veja algumas consequências disso:

> Desmotivação

A desmotivação é o primeiro efeito. Lembra-se da tríade velocidade, exigência e perfeição? Nas situações de sobrecarga o colaborador acaba não fazendo as entregas da forma adequada.

Para um colaborador responsável, não entregar um trabalho da forma adequada é um forte componente de desmotivação.

O pior disso tudo é que a desmotivação é como uma espiral descendente, ou seja, se desmotiva agora, atrapalhará a próxima entrega, o que gerará mais desmotivação… enfim, já imaginou onde isso irá parar, certo?!

> Queda da Produtividade

O primeiro efeito é a desmotivação. Ela prejudica a saúde física e emocional do colaborador.

O que acaba ocasionando erros, afastamentos por doença e pedidos de demissão.

O efeito disso tudo é com certeza na produtividade geral da empresa. Não tem jeito, se você está nesta situação saiba que a situação já é grave.

> Depressão do funcionário

A depressão é uma doença que tem afetado cada vez mais pessoas. Sair dessa situação realmente é muito difícil.

Existem casos públicos que demonstram a gravidade do problema. Temos como exemplo o suicídio do ator Robim Willians, que fez “Uma Babá Quase Perfeita” e do âncora da Rádio Band News, Ricardo Boechat, que em determinada manhã ficou sem ter o que falar por causa da depressão.

Por isso é tão importante atuar no problema.

> Elevação dos gastos com contratação

Além dos problemas de produtividade, a empresa terá um aumento nos gastos relacionados ao RH.

Isso tanto do lado dos colaboradores, pois os mais atentos a isso vão pedir demissão. Como do lado da empresa que se verá na posição de fazer demissões para ajustar os quadros.

Isso nunca é bom, pois se perdem talentos, se gasta mais com treinamentos e o problema não é efetivamente resolvido.

Como resolver e minimizar o problema

Se você chegou até esse ponto do texto, é porque tem a preocupação verdadeira com os seus colaboradores e com os resultados da empresa.

Conforme disse lá no início do texto, existem medidas que devem ser adotadas, de baixo custo antes de sair contratando pessoal.

É claro, isso pode ser necessário, contratar mais pessoas, mas você precisa primeiro fazer ajustes na empresa.

> Propicie momentos fora do trabalho

Eu diria que o início dos problemas começa quando o colaborador não consegue se desconectar da empresa.

Seu pensamento fica a mil, com todos os afazeres e datas de entrega, e não consegue descansar a mente.

Para evitar isso, a empresa deve propiciar que o seu colaborador tenha momentos de descanso longe dos problemas da empresa. Isso pode ser feito desde coibindo os que trocam mensagens e trabalham fora do expediente, até fazendo ações internas de incentivo ao relaxamento.

Algo que sempre indico é a Ginastica Laboral, são alguns minutinhos no dia, que servem para a parte física, mas que ajudam na parte mental.

> Reorganize atividades, tarefas e metas

O caos pode estar acontecendo pelo simples fato das atividades, tarefas e metas estaremos desorganizadas, ou ainda de não serem bem comunicadas.

Então fazer uma reorganização é sempre necessário. É possível para isso adotar metodologias que garantam a comunicação e a produtividade do funcionário.

Existem estudos que demonstram que cada vez nos concentramos menos tempo, por isso é importante conseguir focar nossa atenção de maneira otimizada para realizar as ações do dia-a-dia.

Acompanhamos uma empresa que adotou três métodos para resolver isso.

Kanban: O Kanban é um quadro visual com todas as atividades a serem desenvolvidas pelo departamento, assim todos os colaboradores já ficam sabendo o que precisa ser feito.

Pomodoro: A técnica do Pomodoro intercala momentos de concentração e de descanso como forma de melhorar as entregas e focar a atenção na atividade que está sendo desenvolvida.

Scrum: O Scrum, aliado ao Kanban serviu para deixar claro para todos o que precisava ter foco e o que precisava ser entregue semanalmente.

Essa empresa, teve uma boa parte dos seus problemas resolvidos combinando os três métodos.

> Adote um programa de estágio

Outra ação que pode ser realizada é a adoção de um programa de estágio.

Um programa de estágio tem vários benefícios, mais vou me concentrar nos relacionados a sobrecarga que estamos tratando.

Um programa bem desenhado pode ajudar a você alocar mais equipe em determinado projeto utilizando a força de trabalho jovem.

Isso vai fazer com que sua equipe tenha mais braços, sem incorrer em custos dos encargos sociais, ao mesmo tempo que a empresa cumpre os requisitos de ensinar e ofertar mais experiência aos estagiários.

Isso sem contar o gás que um jovem pode trazer no trabalho elevando a produtividade de toda a equipe. Falamos mais sobre isso no texto Como nós resolvemos o problema de queda de produtividade em uma empresa.

Conclusão

Podemos observar no texto que a sobrecarga de trabalho pode existir, e em alguns momentos é necessário para o crescimento da empresa. Mas se isso se tornar constante pode prejudicar a saúde física e mental dos funcionários.

Isso com certeza, se acontecer, vai prejudicar a empresa. É preciso então ficar atento aos sinais e tomar ação antes de que seja tarde. A ação não passa necessariamente por novas contratações. É possível que a empresa tenha êxito em ações como reorganizar o trabalho, proporcionar um descanso mental aos funcionários e até fazendo um programa de estágio.

Essas ações tem um custo menor do que novas contratações e podem ser uma grande saída em momentos onde a redução de custos é uma palavra de ordem nas empresas.

E você gostou deste post? Achou que ele pode ajudar a mais pessoas? Compartilhe nas suas redes sociais e vamos ajudar mais empresas a não terem esse tipo de problema.

A importância do estágio para o jovem – Saiba mais

“Para conseguir um emprego é preciso ter experiência. Mas para conseguir experiência é preciso trabalhar.”

Certamente você também já ouviu essa frase e se questionou sobre essa contradição.

E realmente é uma coisa confusa de se entender. Afinal, se eu estou buscando o meu primeiro emprego, dificilmente eu terei alguma experiência.

Isso significa que ficarei a vida toda sem experiência e sem emprego?

Hahaha, a resposta é não! Fique tranquilo, neste texto explicaremos como um estágio poderá te ajudar!

Continue Reading –

Estágio na Área Administrativa

REQUISITOS

    • Cursando o Ensino Superior – Curso de Administração de Empresa ou afins;
    • Interesse e facilidade em aprender coisas novas;
    • Domínio do Português;
    • Comunicação clara e objetiva;
    • Ter pró atividade em trazer ideias novas e ao mesmo tempo ter um senso de dono do negócio.
    • Saber gerenciar seu próprio tempo e prazos de processos;
    • Deseja trabalhar em um ambiente de muitas responsabilidade e trabalho.
    • Gostar de ser constantemente desafiado a aprender a fazer melhor e mais rápido.
    • For rápido e se adaptar facilmente às novas situações e as prioridades.
    • Não estiver apenas à procura de outro emprego e sim de um projeto de vida.
    • Capacidade de Negociar

BENEFÍCIOS

    • Bolsa auxílio a partir de R$ 500,00;
    • Outros de acordo com a Empresa

LOCAL DE TRABALHO: Taboão da Serra/SP, Embu das Artes/SP e São Paulo/SP

QUANTIDADE DE VAGAS: 4

Participe do processo seletivo preenchendo o formulário: Link – https://goo.gl/forms/arUPV7NjwILNLCei2

 

 

Mão-de-Obra Qualificada – Saiba como preparar a sua empresa

Um desafio constante nos dias atuais das empresas é ter uma mão-de-obra qualificada para prestar serviços e entregar bons produtos ao consumidor.

Mas sabemos que nem sempre isso é possível. Afinal são vários fatores que influenciam, inclusive os externos, como a própria busca por atualização do colaborador.

Se você tem esse desafio na sua empresa, continue lendo o post. Ele possivelmente irá te ajudar.

Apagão de mão-de-obra qualificada

Nos dias atuais, o desemprego tem tomado conta das preocupações dos brasileiros e dos noticiários econômicos.
Mas, apesar deste grave problema, o que ocorre no dia a dia das empresas é que existem oportunidades de colocação profissional e quem nem sempre tem as vagas preenchidas.

O que tem ocorrido é que os processos seletivos estão cada vez mais longos, uma vez que uma decisão errada de contratação incorre em custos de um novo processo.

Os RHs das Empresa estão cada vez mais pressionados. Se espera que eles encontrem algum com perfil e conhecimento adequados para a vaga.

O que fazer para manter a mão-de-obra qualificada

Se por um lado encontrar o candidato ideal está difícil a empresa pode facilitar a qualificação através de ações internas. É preciso somente dimensionar o investimento, pois algumas ações podem custar para a empresa sem trazer o retorno esperado.

Registrar os procedimentos da empresa

Esse é o primeiro passo. Por incrível que pareça muitas empresas não possuem os procedimentos registrados na empresa.

É um guia de como a empresa faz. Sem ele não um direcionamento formal de como fazer.

Com esse documento é possível dar o primeiro treinamento, o essencial para se começar uma nova atividade.

Contratar Treinamentos para os Funcionários

Uma outra forma é a contratação de treinamento externos para os funcionários que necessitem de capacitação.
Esse é o jeito mais comum adotados pelas empresas. Embora seja comum, existem alguns problemas, como o alto custo e a falta de aproveitamento dos funcionários, dependendo da atitude de que faz a atividade.

Oferecer Bolsa para os Funcionários

Uma forma de atingir somente os interessados é oferecer bolsas de estudos para treinamentos.

É possível direcionar bem para quem a empresa irá pagar. Questões como interesse do colaborador, coparticipação e desempenho são sempre interessantes para aumentar a efetividade da ação.

Criando regras bem definidas, todos saem ganhando e o investimento da empresa é melhor aplicado no desenvolvimento do funcionário.

Criar condições para a qualificação dentro da empresa

Já falamos em ter os procedimentos mapeados, isso é um grande passo para o aprendizado interno.

Mas outras ações devem ser estimuladas como a realização de treinamentos internos com os líderes da área sendo instrutores, transformar os líderes em coaches e transformar áreas em ambientes de mentoria.

Muitas empresas fizeram mudanças neste sentido, e se transformaram o ambiente de trabalho em ambiente de aprendizado.

Uma ação que contribui com tudo isso é ter um Programa de Estágio, possibilitando contratar jovens motivados e ávidos para colocar em pratica a teoria e por outro adequado essa pratica para as necessidades da empresa.

Como a contratação de estagiários pode te ajudar

São vários os benefícios de se manter um programa de estágio na empresa, tais como:

• Possibilidade de descobrir e reter talentos;
• Reduzidos encargos trabalhistas, o que reduz os riscos de contratação;
• Desenvolver o jovem para a necessidade da empresa, adequado a prática e cultura da empresa;
• Deixa a empresa mais próximo do conhecimento teórico, que vem junto com o jovem;
• Os jovens são mais abertos a ideias, trabalho em equipe e possuem facilidade com tecnologia;
• Significam um verdadeiro reforço para as equipes de trabalho.

Essa proximidade com a teoria que vem na bagagem dos estudantes é um verdadeiro estimulo para a equipe em demonstrar a pratica.

É importante escolher bem os supervisores de estágio, pois estes podem e devem moldar os jovens de como a empresa funciona. Como é uma via de duas mãos, isso pode se tornar um estimulo na supervisão.

Essa é uma forma de reduzir a pressão em cima de seleções que nem sempre são certo, pois se espera que o profissional tenha o perfil e o conhecimento. Focando no estágio, se busca somente o perfil e o conhecimento prático se desenvolvem na empresa. Isso reduz o risco das contratações mal realizadas e ainda dá um gás na equipe.

Saiba mais, acesse nosso artigo Como nós resolvemos o problema de queda de produtividade em uma empresa com um programa de estágio.

Resumindo

Existem oportunidades e vagas em aberto na empresa, porém nem sempre é possível preenche-las com mão-de-obra qualificada. Por outro lado, os profissionais de RH são cada vez mais pressionados por resultados.

Uma pratica comum é a empresa resolver essa questão com ações internas. Das várias práticas, todas precisam equilibrar custos e resultados. Uma ação com bastante êxito é criar internamente condições para a qualificação sendo que o estágio profissional pode ajudar em muito. Criando vagas de estágio sua empresa pode motivar os colaboradores e criar o ambiente adequado.

Gostou das dicas? Então compartilhe para que mais pessoas tenha acesso a esse texto.

Redução no Quadro de Funcionários? Veja como proceder

Atualmente vemos muitas empresas reduzindo o seu quadro de funcionários como forma de conseguir driblar os efeitos da crise.

Essas reduções, são medidas que acabam sendo tomadas com o intuito de poupar gastos e continuar se mantendo no mercado.

Mas somente reduzir o quadro de funcionários não garante que a empresa vá se destacar ou conseguir aumentar o seu lucro e produtividade. Afinal, no momento que houver um crescimento nas vendas será necessário ter uma equipe disponível e apta a dar conta do recado.

Então como proceder com relação a isso? Conheça alternativas à redução do quadro de funcionários que podem ajudar a sua empresa a cortar custos e passar por momentos de maior dificuldade.

Riscos no movimento de demissão do quadro de funcionários

É fato e comprovado. Um processo de demissão deve ser muito bem conduzido pois existe um risco enorme de acabar reduzindo a eficiência de quem fica.

Essa comprovação se deu em pesquisas realizadas pela Teresa Amabile da Havard e por Wayne Cascio da University of Colorado.

Mas muitas vezes é inevitável. Se for conduzir esse processo vale a pena realizar um planejamento adequado. Se for o seu caso, indico a leitura do texto “O que fazer para manter a eficiência do seu time no caso de demissões” publicado no site da Capital Social Contabilidade.

Otimização da jornada de trabalho

Se a jornada de trabalho for muito bem aproveitada, não será necessário que os colaboradores passem todo o tempo nela.

O importante é que as tarefas sejam concluídas com precisão, tendo isso, não importa a quantidade de horas trabalhadas.

Desta forma, pode-se avaliar a necessidade de cada área da sua empresa e reduzir as horas trabalhadas.  Áreas de apoio normalmente podem ter reduzida a jornada das tradicionais 44 horas semanais sem grandes impactos.

Assim, ganha-se na redução de gastos com o ambiente de trabalho, suas dependências e pagamento de horas extras. Além do colaborador adquirir uma melhoria na sua qualidade de vida.

Isso tem efeitos também sobre a produtividade do colaborador, com menos tempo na empresa, os resultados precisam ser entregues o quanto antes. Vale a pena pensar nesta alternativa.

Banco de horas

Os bancos de horas também são uma forma muito eficiente de conseguir poupar gastos com horas-extras.

Eles servem como uma “moeda de troca”, onde os colaboradores podem recuperar as horas que trabalharam a mais, em emendas de feriados ou férias mais longas.

Desta forma a empresa consegue equilibrar períodos de alta demanda com mais pessoas trabalhando sem o pagamento de horas extras.

É importante procurar uma orientação sobre a melhor forma de implementar os bancos de horas, considerando o acordo coletivo do sindicato.

Terceirização de mão de obra

A terceirização pode ser uma forma de economizar com pessoal, desde que as atividades terceirizadas não sejam finais.

Profissionais requeridos esporadicamente podem ser retirados do quadro fixo de funcionários e contatados quando houver necessidade.

Isso permite uma flexibilidade e a possibilidade de adequar as atividades ao momento que a empresa está passando. Isso sem falar na especialização que a terceirização da mão de obra pode proporcionar.

Um bom exemplo disso, é a terceirização da contabilidade. Essa é uma atividade que demanda treinamentos constantes, terceirizando parte do custo associado a manter essa atividade internamente também é economizado.

Contratação de estagiários

Contratar um estagiário através de um programa de estágio, possui uma série de benefícios para a empresa. Dentre os inúmeros benefícios, estão:

  • Ótimo investimento para descobrir talentos
  • Desenvolver pessoal qualificado (para o futuro da empresa)
  • Possibilita estar mais próximo de novidades teóricas
  • Jovens estão mais abertos a novas ideias e a formação da equipe

E não menos importante:

  • Ter a isenção de encargos trabalhistas

Jovens estagiários estão mais abertos ao aprendizado, não possuem “vícios de trabalho” e tem a possibilidade de absorver a cultura da empresa com mais facilidade.

Esses benefícios justificam a implementação de um programa de estágio em sua empresa, e podem contribuir com o sucesso dela neste período de redução dos quadros.

Contratar estagiários podem ter o efeito, inclusive, de elevar a produtividade de outros colaboradores. Saiba mais em Como nós resolvemos o problema de queda de produtividade em uma empresa.

Conclusão

É sempre bom poupar gastos, não sendo necessária uma redução brusca no quadro de funcionários, até por que um processo de demissão como esse pode provocar efeitos negativos em toda a empresa.

Existem várias formas de minimizar os impactos que uma possível redução nos colaboradores pode gerar e ainda cortar gastos tanto quanto.

Vale a pena planejar muito bem esse momento para evitar surpresas desagradáveis.

Gostou do texto e acho ele útil? Compartilhe nas redes sociais.

Como nós resolvemos o problema de queda de produtividade em uma empresa

Muitas vezes os empresários se vem na seguinte situação: O negócio vai bem, começa a crescer e a empresa contrata novos funcionários. O crescimento dá mais um salto, e quando tudo parece que vai muito bem a produtividade da equipe começa a cair.

O pior é quando para solucionar este problema uma série de iniciativas são realizadas, como a ampliação de benefícios e programas de incentivo, porém nada dá certo.

Isso já aconteceu com você? Ajudamos uma empresa com estes problemas a resgatar a produtividade e mantê-la em bom nível, saiba como lendo este artigo.

Continue Reading –

Saiba como calcular a cota de aprendizes de uma empresa

Embora a Lei do Aprendiz tenha quase 15 anos, ainda existem muitas dúvidas sobre os temas que a cercam, um deles é o cálculo da cotas de contratação dos aprendizes. Esse é um ponto polêmico e fazer contratações de menos pode prejudicar a implantação do programa na Empresa.

A grande questão é: quais os trabalhadores devem ser considerados para aplicar a cota, são todos? São somente cargos técnicos? E os quadros da direção, devem ser considerados?

Neste post buscamos esclarecer estes pontos.

Continue Reading –

5 ótimos motivos para contratar um Aprendiz em sua Empresa

A contratação de funcionários sempre foi muito complicada para qualquer empresa. São investidos recursos, criado métodos, desenvolvidos processos. Tudo isso na expectativa de acertar a pessoa adequada para aquela vaga e função, e assim garantir a tão sonhada produtividade plena, não é mesmo?

Com tudo isso, o Jovem, por viver uma fase de transição para a vida adulta, por muitas vezes não estar capacitado tecnicamente ou por não ter experiência, é visto com reticências e, geralmente, não é contratado. Não é à toa que o desemprego nessa faixa etária é tão alto.

Mas isso vem mudando, pois, a introdução da Lei do Aprendiz, o esforço de Empresas e Instituições Formadoras na implantação de bons programas tem transformado essa realidade, e as empresas já contam com bons motivos para contratar aprendizes. Veja abaixo ótimos motivos para contar com a força Jovem na empresa.

Continue Reading –

Veja se a sua empresa é obrigada a contratar um Jovem Aprendiz

Desde 1991, quando foi implementado a Lei das Cotas para pessoas portadoras de necessidades especiais, o Governo tem tentado, por meio da legislação, criar oportunidades de emprego para todos os segmentos.

Um desses segmentos segmentos é o de Jovens, no qual o desemprego  é, algumas vezes, superior à média do mercado. Esses jovens esbarram em diversas dificuldades em sua contratação, como a falta de conhecimento técnico, de experiência e o receio por parte da empresa relacionado à falta de produtividade. Porém, uma lei de 2000, regulamentada em 2005, tenta melhorar essa situação com a obrigatoriedade de cotas para Aprendizes nas empresas.

Veja se sua empresa precisa contratar e evite problemas com o MTE. 

Continue Reading –